Interferência de Bolsonaro no Banco do Brasil faz novo estrago: União sofre ação por veto ilegal, racismo e censura; multa de R$ 51 milhões

BR: A derrubada pelo presidente Jair Bolsonaro do filme publicitário ‘Selfie’, do Banco do Brasil, acaba de fazer um novo estrago. O Ministério Público Federal do Rio Grande do Sul ajuizou ação civil pública contra a União pelo “ilegal veto (censura)”. O pedido é para que a propaganda seja retomada e que, ao mesmo tempo, a União pague indenização de R$ 51 milhões por dano moral coletivo.

“O montante deverá ser aplicado em campanha de conscientização de enfrentamento ao racismo e à homofobia”, determina a ação assinada pelo procurador da República Enrico Rodrigues de Freitas.

A ação afirma que o veto feriu a Lei das Estatais, que garante autonomia às empresas controladas economicamente pelo governo, permitindo supervisão apenas dentro dos limites legais.