Herói da França e algoz do Brasil, Michel Platini é preso por suspeito da corrupção em torno da Copa do Catar

O  ex-presidente da  União Europeia de Futebol (Uefa) Michel Platini foi detido nesta terça-feira (18) por autoridades e encaminhado ao gabinete Anti-Corrupção da Polícia Judiciária francesa. A ação ocorre após suspeitas de corrupção relacionadas à organização da Copa do Mundo de 2022, no Catar.

O ex-jogador francês também está  suspenso do futebol por um suposto envolvimento em um caso de corrupção. Platini teria recebido dinheiro do ex-presidente da Fifa Joseph Blatter por trabalhos prestados entre 1998 e 2002. O ex-atleta renunciou  à presidência da Uefa em 2016, após o  Tribunal Arbitral do Esporte (TAS)  reduzir para quatro anos a suspensão imposta pela Fifa

LEIA MAIS

  • Platini diz que sorteio da Copa de 1998 foi manipulado para evitar Brasil x França antes da final
  • Após tribunal reduzir suspensão, Platini renuncia à presidência da Uefa, diz comunicado 

 Segundo o jornal francês Le monde, Platini será ouvido inicialmente como testemunha. Sophie Dion, antiga conselheira do ex-presidente Nicolas Sarkozy, também foi detida. O ex-secretário geral do palácio do Eliseu, Claude Guéant, foi ouvido nesta terça na condição de “suspeito livre”.

O foco da polícia é um café da manhã em 23 de novembro de 2010 no Palácio do Eliseu, com as presenças de Sarkozy, Platini, o emir do Catar Tamim Bin Hamad Al Thani, e o xeique Hamad Ben Jassen, então primeiro-ministro e ministro das relações internacionais do Catar.