Guedes tenta salvar fala desastrada de Bolsonaro; “Ele se referiu ao setor público”, engana ministro; Maia vê em admissão de “país quebrado” a falta de projeto do governo para o país

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse ao Globo (14) que o presidente Jair Bolsonaro se referia ao setor público ao afirmar que o Brasil está “quebrado”, em conversa com apoiadores ontem. Guedes disse ainda que o presidente, em sua fala, demonstrou a necessidade de respeito ao teto de gastos.

“Ele está se referindo evidentemente à situação do setor público, que está numa situação financeira difícil”, afirmou o ministro. “Porque, depois dos excessos de gastos cometidos por governos anteriores, quando chegou o primeiro governo falando que vai cortar forte, foi fulminado pela pandemia. Não estamos reconhecendo a dificuldade da situação, mas decididos a enfrentar. Nós vamos seguir com as reformas estruturais. Foi só isso”, completou.

“A economia voltou em V, o setor privado está decolando de novo”, insistiu Guedes. “Nós somos talvez a única economia que não perdeu emprego no setor formal. Na recessão de 2020, nós perdemos zero emprego no mercado formal”, contabilizou.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, afirmou que a fala de Bolsonaro mostra que o governo não tem projeto para o país. “É grave e desalentador porque você olhar para os próximos dois anos sem entender o projeto de país que ele (Bolsonaro) tem. A mensagem do presidente se pareceu desde o fim de 2019 como a do deputado que representa corporações do que a do presidente que representa o Estado.”