Reunião com parlamentares da bancada do NOVO

Guedes anuncia liberação de R$ 100 bi em compulsório, mas BC diz em nota que nada está acertado ainda

Após encontro com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta quinta-feira (27/06) que o governo vai liberar R$ 100 bilhões de compulsório, dinheiro dos clientes que os bancos não podem usar em operações de crédito e precisam ser retiradas do Banco Central. 

Poucas horas depois, no entanto, o Banco Central emitiu nota afirmando que não adianta suas decisões e medidas e que, neste momento, nada há de concreto sobre a liberação dos R$ 100 bi referidos por Guedes.

O ministro falou um dia depois de o BC divulgar a nova redução na alíquota do recolhimento compulsório sobre recursos a prazo de 33% para 41%, o que representa liberação de R$ 16,1 bilhões retiros nos bancos para dar maior incentivo a empréstimos.


“Estamos fazendo a desestatização do mercado de crédito. Estamos fazendo a devolução, despedalando os bancos públicos”, disse Guedes após almoço na residência oficial do presidente do Senado da qual também participou o líder do governo na Casa, senador Fernando Bezerra (MDB-PE).
Ontem já houve uma liberação de R$ 20 e poucos bilhões de recolhimento compulsório para ampliar o crédito privado e vem aí mais de R$ 100 bilhões de liberação de compulsório ali na frente. Então, estamos encolhendo o crédito público e melhorando a alocação de recursos, expandindo o crédito privado”, explicou o ministro.