Gilmar passa decisão sobre transferência de Lula a Toffoli; deputados de esquerda e centro vão ao STF pedir para que ex-presidente seja mantido em Curitiba

O ministro Gilmar Mendes disse ao R7 Planalto que irá submenter ao presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Dias Toffoli, a decisão sobre a liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Neste caso, Toffoli tem três caminhos. Ou pode decidir monocraticamente, o que é menos provável, ou submeter a decisão ao plenário da Suprema Corte, ou designar ainda um relator, sendo que o natural ministro é o ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato. 

Deputados e senadores chegam ao STF para reunião

Deputados e senadores chegam ao STF para reunião

Clébio Cavagnolle/Record TV

A defesa de Lula pediu nesta quarta-feira (7) ao ministro Gilmar Mendes que conceda liberdade ao ex-presidente até o julgamento de um habeas corpus pela Segunda Turma do tribunal. Caso a liberdade seja negada, a defesa pede que Lula seja mantido preso em sala de estado maior (cela especial).

Nesta quarta, o juiz Paulo Eduardo de Almeida Sorci determinou que o ex-presidente Lula cumpra pena no presídio de Tremembé, no interior de São Paulo. Ele está preso na superitendência da PF em Curitiba, em uma sala, desde abril de 2018. 

O presidente do STF está neste momento reunido com deputados e senadores do PT e partidos da oposição sobre a transferência de Lula.