Gilmar ‘o nosso causídico’ Mendes dá sua versão para telefonema trocado com Aloysio Nunes

BR: Acossado pela Receita Federal, que recuou seus auditores, mas desgastou, e bem, sua imagem desde sempre polêmica, o ministro Gilmar Mendes, do STF, tem dado a interlocutores a sua versão sobre o telefonema disparado a ele pelo ex-chanceler Aloysio Nunes.

Uma interceptação feita pela Polícia Federal detectou que, às vésperas de julgar um habeas corpus a favor do operador do PSDB Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto, Gilmar recebeu a ligação do tucano que, por sua vez, é acusado de desfrutar de um cartão de crédito internacional fornido com dinheiro que o operador guardava em uma conta bancária na Suíça.

Segundo Gilmar, o telefonema de Aloysio foi apenas para prestar solidariedade à devassa feita em sua vida financeira e na de sua mulher, Guiomar. Paulo Preto não teria sido assunto, mas apenas a perseguição que o ministro denunciou sofrer dos agentes do Fisco.

Em outro telefonema, porém, também interceptado pela PF, Aloysio disse ao ex-ministro Raul Jugmann, também do PSDB, que tocara sim no assunto Paulo Preto, ao que Gilmar teria respondido com evasivas. Dias depois, o habeas corpus ao operador tucano foi dado pelo ministro.

“Esse nosso causídico é f…!”, comemorou Aloysio em nova ligação a Jugmann.

“O senhor dos escravos”, completou o tucano pernambucano.

Só gente fina e inocente!