Gilmar Mendes dispara: “O Dallagnol, está provado, é um bobinho. Quem operava a Lava Jato era o Moro”

BR: A revista Época, cuja edição eletrônica circula hoje, ouviu o ministro Gilmar Mendes, do STF, sobre o conteúdo do vazamento das conversas secretas entre o então juiz Sergio Moro e a força-tarefa da Lava-Jato, por meio do procurador Deltan Dallagnol.

Mendes respondeu à indagação sobre qual é o futuro da Lava-Jato nos seguintes termos:

“O chefe da Lava Jato não era ninguém mais, ninguém menos do que o Moro. O Dallagnol, está provado, é um bobinho. É um bobinho. Quem operava a Lava Jato era o Moro”, disse Gilmar, vendo implicações diretas das revelações para o desenrolar da operação:

“Eu acho, por exemplo, que, na condenação do Lula, eles anularam a condenação”, analisou o ministro. “Um (Dallagnol) diz que, para levar uma pessoa a depor, eles iriam simular uma denúncia anônima. Aí o Moro diz: ‘Formaliza isso’. Isso é crime”, aponta Gilmar Mendes.

O ministro insistiu:

“Simular uma denúncia não é só falta de ética, isso é crime”, em referência ao trecho do diálogo entre Moro e Dallagnol.