General Villas Bôas se diverte com crítica de Fachin sobre “pressão inaceitável” ao STF: “Três anos depois”, contabiliza militar da reserva

Golpista que é golpista não perde a linha, escreve o Diário do Centro do Mundo.

Até o general Villas Bôas tirou sarro da demora do STF, no caso pelas mãos do ministro Edson Fachin, em responder a sua tentativa de intimidar as instituições.

Em livro que está lançando, Villas Bôas relata ter articulado com a cúpula do Exército, em 2018, postagens que faziam “alerta” ao Supremo pouco antes do julgamento de um habeas corpus de Lula.

“Anoto ser intolerável e inaceitável qualquer forma ou modo de pressão injurídica sobre o Poder Judiciário. A declaração de tal intuito, se confirmado, é gravíssima e atenta contra a ordem constitucional. E ao Supremo Tribunal Federal compete a guarda da Constituição”, afirmou o ministro por meio de nota.

“Três anos depois”, rebateu o militar. 

Villas Bôas, comandante da caserna nos governos Dilma Rousseff e Michel Temer, revela ter planejado o tuíte com o Alto Comando.

Na véspera da sessão do HC de Lula, ele escreveu: que a “Força compartilha o anseio de todos os cidadãos de bem”.

Depois, foi mais fundo: “Nessa situação que vive o Brasil, resta perguntar às instituições e ao povo quem realmente está pensando no bem do País e das gerações futuras e quem está preocupado apenas com interesses pessoais”.