Fundo Eleitoral vai mais que dobrar, de R$ 1,7 bi para R$ 3,7 bi, e Maia, general dos cortes na Previdência, diz que “não é exagero”

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, afirmou ontem que “não é exagero” o aumento de até R$ 2 bilhões do Fundo Eleitoral para financiar as campanhas municipais no ano que vem, registra o Globo (6). O relator da LDO, deputado Cacá Leão (PP-BA), propôs em seu parecer que o valor do fundo possa chegar a R$ 3,7 bilhões, contra R$ 1,7 bilhão em 2018. “Não acho que é exagero. Acho que é uma eleição municipal, com cinco mil municípios, com milhares de candidatos a vereador, é uma campanha que vai requerer um custo um pouco maior que uma eleição do regime geral”, disse Maia.

O DEM, partido de Maia, pode receber R$ 205 milhões do fundo. O PSL, do presidente Jair Bolsonaro, pode ficar com R$ 366,2 milhões, 40 vezes mais do que em 2018.

“Eu preferia que o financiamento privado pudesse voltar”, acrescentou Maia. “Mas o problema é que o Senado ainda não votou a emenda constitucional que nós votamos em 2015”. o