Frente com Lula, FHC, Ciro, Doria e Marina articulada por partidos; “Direitos Já – Fórum pela Democracia”; Lira chamado

Atuando como contraponto ao movimento golpista do presidente Jair Bolsonaro, o grupo “Direitos Já – Fórum pela Democracia” quer realizar ações de frente ampla para reforçar pedidos de impeachment contra o chefe do Executivo brasileiro.

Em reunião na noite desta terça-feira (7), integrantes de partidos como PT, PSDB e outras cinco legendas, definiram um calendário de manifestações até o fim de setembro onde, em uma delas, será realizado um ato com a presença de políticos como Lula, Fernando Henrique Cardoso, Ciro Gomes e João Doria.

Está previsto, inclusive, um ato internacional com personalidades políticas e intelectuais contra Bolsonaro, além de um novo pedido de impeachment com assinatura de juristas da esquerda à direita, segundo a colunista Vera Magalhães, do O Globo. O grupo também quer uma reunião com o presidente da Câmara, Arthur Lira, responsável por dar abertura aos pedidos de impeachment contra o presidente da República.

Para os próximos dias, o grupo estuda aderir aos atos convocados por movimentos como o MBL, no próximo domingo (12). O impasse, neste momento, está na palavra de ordem da manifestação, que rejeita Lula e Bolsonaro na mesma toada. A ideia é derrubar o tom eleitoral da discussão e focar na solução ao impasse criado pelo presidente da República.

Segundo a coluna, participaram da reunião desta terça-feira a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, o ex-ministro de Lula e Dilma Rousseff e ex-governador do Rio Grande do Sul Tarso Genro, a ex-senadora e ex-presidenciável Marina Silva e o vice-presidente da CPI da Covid, Randolfe Rodrigues, pela Rede, o senador José Aníbal, pelo PSDB, e representantes de DEM, PSB, PSL, PV e Cidadania, entre outros.