Folha: vazamentos do Intercept não apresentam adulteração

BR: O ministro da Justiça, Sergio Moro, sustenta que os vazamentos de conversas entre ele e os procuradores da operação Lava-Jato podem ter sido adulterados para fins de publicação no site The Intercept, mas ainda não apresentou nenhuma prova desta possível modificação.

Agora, a versão de Moro fica mais frágil. O jornal Folha de S. Paulo firmou parceria com o Intercept e teve acesso ao lote de áudios, vídeos, fotos e documentos compartilhados entre a fonte dos vazamentos e o site fundado por Gleen Greenwald.

“Ao examinar o material, a reportagem da Folha não detectou nenhum indício de que ele possa ter sido adulterado”, escreve o jornal na edição deste domingo 23.

Os repórteres, entre outros meios de checagem, buscaram nomes de jornalistas da própria Folha em meio aos diálogos vazados e os encontraram. Os diálogos dos quais eles participaram estavam reproduzidos fielmente no material disponibilizado pelo Intercept.

A seguir com a versão de que houve adulteração, Moro terá de apresentar provas para ser acreditado. Se não fizer isso, vai ficar ainda mais claro que não há deturpações nas revelações, mas apenas a verdade.