Fogo alto; Justiça manda quebrar sigilo bancário de escritório de Salles e de sua mãe; R$ 2,75 milhões em 50 transações suspeitas

O juiz Marcos de Lima Porta, da 5ª Vara da Fazenda Pública de São Paulo, determinou a quebra do sigilo bancário do escritório de advocacia do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e da mãe dele, Diva Carvalho de Aquino.

A decisão se deu no âmbito de inquérito civil do Promotoria do Patrimônio Público de São Paulo, que investiga possível enriquecimento ilícito no período em que Salles foi secretário do governo Geraldo Alckmin (PSDB).

O ministro movimentou R$ 2,8 milhões da conta de seu escritório de advocacia Carvalho de Aquino e Salles Advogados para sua conta pessoal em 58 transações entre 2012 e 2017. Se considerado apenas o período em que ocupou cargos no governo estadual (2013 a 2017), o valor é de R$ 2,75 milhões.

Procurado, o Ministério do Meio de Ambiente não se manifestou até a publicação desta reportagem. (…)