Fim da farra sertaneja; Justiça suspende show de Leonardo e mais dois que custaria R$ 600 mil; dinheiro fácil para esquema de artistas bolsonaristas

Os shows do cantor Leonardo, da dupla sertaneja bolsonarista João Neto & Frederico, da cantora gospel Bruna Karla e mais oito atrações foram suspensos pela Justiça de Goiás a pedido do Ministério Público do estado. As apresentações aconteceriam na 37ª edição da Vaquejada de Goiás, evento tradicional do município de Divinópolis, a 650 km da capital, Goiânia.

Previsto para os dias 28 e 31 de julho, o evento somava R$ 600 mil em gastos públicos, dos quais R$ 335 mil foram destinados ao cachê do cantor Leonardo, R$ 110 mil para a dupla João Neto & Frederico e R$ 85 mil para o show de Bruna Karla.PUBLICIDADE

O MP de Goiás alegou que há “indícios de sobrepreço” em pelo menos dois contratos do evento. Uma multa diária de R$ 30 mil foi estipulada em caso de descumprimento da decisão.https://21927630dea3759cf2a1da863667624c.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Segundo a promotoria, os shows são gastos excessivos que prejudicam a saúde financeira do município e que envolvem outras irregularidades. Entre os outros contratados estavam as duplas Robson & Rafael e Farinha & Rapadura, os cantores Washington Brasileiro e Junior Viana e o grupo Forró A3.

O MP disse em comunicado que encontrou antecipação de pagamentos realizados pela administração pública antes da prestação dos serviços. Leonardo e a dupla João Neto & Frederico receberam os cachês em seis parcelas, com pagamentos iniciados no dia 18 de fevereiro e encerrados no dia 18 de julho, dez dias antes do início da 37ª edição da Vaquejada de Goiás.