Filhos de Maluf seguem pai e são condenados por lavagem; Flavio pegou 8 anos em regime fechado

Três filhos do ex-prefeito de São Paulo, Paulo Maluf, foram condenados pela 2ª Vara Federal Criminal de São Paulo por lavagem de dinheiro. Ligia e Lina Maluf foram sentenciadas a quatro anos de prisão em regime semiaberto, já o empresário Flávio Maluf, acusado de coordenar o esquema em parceria com o pai, recebeu a pena de oito anos de reclusão em regime fechado. Os acusados podem recorrer em liberdade.


A ação que foi proposta em 2006 pelo Ministério Público Federal acusava a família de movimentar dinheiro no exterior entre os anos de 1997 e 2003 com o objetivo de ocultar a origem de recursos que foram desviados durante a gestão de Paulo Maluf, entre 1993 e 1996. 

O desvio de verba teria ocorrido através da cobrança de propinas na construção da Avenida Água Espraiada. A estimativa é que a obra tenha custado o triplo do necessário. O esquema contava com a abertura de contas e fundos de investimentos nas Ilhas Britânicas e na Ilha de Jersey. O dinheiro era repatriado com a suposta compra de títulos a favor da Eucatex, empresa da família sediada no Brasil.

O assessor de imprensa da família informou que os filhos de Maluf devem recorrer da decisão judicial.