Ficou fácil; TRF-2 derruba fiança de R$ 1 milhão e manda liberar ‘pastor’ Everaldo; preso desde agosto de 2020 por suspeita de corrupção, ele foi que batizou Bolsonaro nas águas do rio Jordão; campanha eleitoral

O TRF-2 (Tribunal Regional Federal da 2ª Região) revogou o pedido de fiança de R$ 1 milhão para liberar o pastor Everaldo Dias Pereira (PSC-RJ) e determinou a sua soltura com o uso de tornozeleira eletrônica. A decisão foi assinada na 3ª feira (6.jul.2021) pela desembargadora Simone Schreiber, a nova relatora da Lava Jato no tribunal.

presidente do PSC (Partido Social Cristão) está preso desde agosto de 2020, quando foi deflagrada a Operação Tris in Idem. Ele foi detido por suspeita de integrar grupo que desviou recursos públicos do Rio de Janeiro na gestão do então governador Wilson Witzel (PSC). Na mesma decisão, o STJ (Superior Tribunal de Justiça) afastou Witzel das suas funções por irregularidades na Saúde.

Receba a newsletter do Poder360todos os dias no seu e-mail

Em nova decisão, a qual O Globo teve acesso, Schreiber considerou a fiança “desproporcional”.

Desta forma, por considerar que a decisão que impôs a fiança deixou de apresentar fundamentação idônea que justificasse sua fixação no valor de R$ 1.000.000,00, e por entender que o arbitramento em patamar tão elevado tem o condão de impossibilitar a soltura do paciente, entendo que a cautelar em questão deve ser por ora afastada”, escreveu a magistrada.

Agora, o pastor Everaldo terá que cumprir medidas cautelares como o uso de tornozeleira eletrônica em período integral, recolhimento domiciliar noturno e proibição de deixar o Rio de Janeiro.

Os advogados do político esperam que ele saia da prisão nesta 4ª feira (7.jul.2021).