ORG XMIT: 111801_1.tif Marcos Cintra, economista da FGV, que propõe uma ªrevascularizaçãoÓ do trânsito de São Paulo desviando tráfego das marginais, posa para foto durante entrevista, em São Paulo, SP. (São Paulo, SP, 27.02.2008. Foto de Paulo Fehlauer/Folhapress)

Evangélicos ameaçam Cintra por defender imposto sobre dízimo: “Se repetir isso, cai”

BR: O recado curto e grosso foi dado ao secretário da Receita, Marcos Cintra, pelos deputados da bancada evangélica, com direito a algum desconto:

“Se ele repetir isso mais umas três vezes, ele cai”, projetou o deputado Lincoln Portela (PR-MG), que até o mês passado presidia a bancada evangélica.

“O Cintra é meu companheiro dos tempos de deputado. Vou ligar para ele e falar: ‘Ô, meu irmão, fica quieto aí’”, completou Portela.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, rechaçou a criação de uma novo imposto. Cintra, ao jornal Folha de S. Paulo, defendeu a criação da Contribuição Previdenciária (CP), de 0,9% sobre cada transação financeira.

“Imposto não passa”, sentenciou Maia.

O deputado Marco Feliciano, outro expoente da bancada evangélica, ironizou Cintra:

“Com esse tipo de pessoas no governo, quem precisa de oposição?”, questionou, divertindo-se. c