EUA terão vacina contra Covid-19 nas farmácias já em fevereiro, enquanto Brasil ainda nem sabe quando começará a imunizar

A vacinação contra a covid-19 nas farmácias dos Estados Unidos deve começar do final de fevereiro ao início de março de 2021.Vacinas serão oferecidas em, pelo menos, 3 a cada 5 farmácias dos Estados Unidos© Sam Moqadam/Unsplash Vacinas serão oferecidas em, pelo menos, 3 a cada 5 farmácias dos Estados Unidos

O país iniciou neste mês a aplicação emergencial das vacinas produzidas pela Moderna e pela Pfizer em parceria com a BioNTech. As duas foram aprovadas pelo FDA (Food and Drug Administration, em inglês), autoridade sanitária norte-americana.

Os imunizantes, por enquanto, estão sendo distribuídos a grupos prioritários, como profissionais de saúde e idosos. Quando o registro definitivo das vacinas for concedido pelo FDA, as redes farmacêuticas serão acionadas para distribuição da vacina, inclusive para pessoas com prioridade garantida.

O acordo entre o governo norte-americano e as farmácias para fornecimento da vacina foi firmado em 12 de novembro. O contrato garante que 3 a cada 5 farmácias dos Estados Unidos ofereçam imunização contra a covid-19 à população.

Em novembro, o secretário de Saúde e Serviços Humanos do governo do presidente Donald Trump, Alex Azar, disse que o acerto com as farmácias é “um passo fundamental para garantir que todos os norte-americanos tenham acesso a vacinas contra a covid-19 seguras e eficazes, quando disponíveis”.

“A grande maioria dos norte-americanos vive a menos de 5 milhas de uma farmácia”, afirmou Azar.

Entre as farmácias que já aderiram ao acordo com o governo, estão redes de varejo como a Rite Aid, a CVS e a Walgreens. As duas últimas publicaram em seus sites uma série de explicações sobre o funcionamento da vacinação nas farmácias. Leia aqui e aqui, respectivamente.

BRASIL: SEM DATA

O Plano Nacional de Operacionalização contra a covid-19 (íntegra – 10 MB), apresentado em 16 de dezembro, pelo Ministério da Saúde não faz menção à disponibilização pontos de vacinação em farmácias. Nas mais de 100 páginas, a possibilidade não é citada nenhuma vez.

O governo federal também não divulgou resposta à proposta apresentada em 15 de dezembro pela Abrafarma (Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias) de disponibilizar farmácias para aplicação de vacinas sem custo para a população.

O projeto da associação é trabalhar de forma complementar ao SUS (Sistema Único de Saúde). Eis a íntegra do projeto (20 MB). O documento coloca à disposição 4.573 lojas com salas de imunização e 6.860 farmacêuticos para a realização do serviço em todos os Estados.

Poder360 questionou o Ministério da Saúde sobre a possibilidade de inclusão das farmácias no plano nacional de imunização e sobre a resposta à proposta feita pela Abrafarma. Não houve retorno até a publicação desta reportagem.

SÃO PAULO: FARMÁCIAS NO PLANO ESTADUAL

O PEI (Plano Estadual de Imunização) divulgado pelo governo de São Paulo em 7 de dezembro incluiu as farmácias como possíveis pontos de vacinação.

O documento aponta que as farmácias devem ser usadas para aumentar os postos de vacinação no Estado de 5.200 para 10.000. Eis a íntegra (703 KB).