“Eu sei que De Blasio é marxista”, diz Eduardo 01 de prefeito de Nova York; pai escorraçado por falta de vacina: “Não venha”

O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) afirmou que o prefeito de Nova York, Bill de Blasio, é “marxista” e criticou a política do norte-americano de exigência da vacina contra covid-19. De Blasio criticou publicamente a ida do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) à cidade.O filho do presidente também comparou os Estados Unidos com a Venezuela© Vinicius Loures/Câmara dos Deputados O filho do presidente também comparou os Estados Unidos com a Venezuela

Mostra muito sobre como as pessoas de esquerda são. Querem controlar tudo. Sei que De Blasio é marxista e ele segue muito o que diz Antonio Gramsci”, afirmou Eduardo em entrevista à FoxNews na 3ª feira (21.set.2021). “Para eles, tudo gira em torno de política e ideologia. Não me importo muito com o que ele pensa, não perco meu tempo ouvindo-o”.

Antonio Gramsci foi um filósofo e político marxista italiano. Ele foi membro-fundador do Partido Comunista da Itália e combateu o fascismo italiano no regime de Benito Mussolini.

O ataque de Eduardo Bolsonaro contra De Blasio foi depois da fala do prefeito no dia seguinte à chegada da comitiva brasileira, da qual o deputado faz parte, Nova York para a Assembleia Geral da ONU (Organização das Nações Unidas).

“Precisamos enviar uma mensagem a todos os líderes mundiais, principalmente Bolsonaro, do Brasil, que se você pretende vir aqui, você precisa estar vacinado. Se você não quer se vacinar, nem precisa vir” disse o prefeito na 2ª feira (20.set).

As regras sanitárias de Nova York exigem o comprovante de vacinação. Mas a sede da ONU é considerada um território internacional. Tecnicamente, não precisa respeitar as normas de Nova York. A organização afirmou que não poderia exigir a imunização.

O presidente Bolsonaro discursou da Assembleia Geral na 3ª feira (22.set.2021). Ele defendeu o “tratamento precoce” contra a covid-19, mesmo sem evidências científicas, e os atos pró-governo do 7 de Setembro.

Único líder do G20 não vacinado, Bolsonaro não pode entrar em bares e restaurantes de Nova York. Comeu pizza em pé, na rua, no domingo (19.set). Depois, almoçou em um puxadinho do restaurante Fogo de Chão na calçada.

À FoxNews, Eduardo Bolsonaro criticou o que chamou de “controle sobre a vida de todos”. Para ele, políticos dos Estados Unidos esqueceram a 1ª Emenda à Constituição norte-americana, que fala sobre o direito à vida, liberdade e busca da felicidade.

Eles querem controlar a vida de todos — e no ponto em que até mesmo o Talibã pode falar coisas verdadeiras sobre liberdade de expressão para as big techs”, disse o deputado brasileiro. “Estamos com medo do que está acontecendo nos Estados Unidos”.

Eduardo comparou ainda os Estados Unidos com a Venezuela. Segundo ele, nos anos 1990 ninguém levaria a sério se as pessoas falassem que o país poderia se tornar uma ditadura, que foi como o deputado classificou o país sul-americano. “Tenho um conselho para o povo norte-americano. Não pense que a Venezuela está longe de você”.