Enviado por Bolsonaro à gélida Antártida, Onyx perde lugar na articulação política do governo

BR: O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, demostrou numa frase toda a sua satisfação com o fato de o presidente Jair Bolsonaro ter mandado em viagem para a Antártida o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, em pleno início do jogo para valer da articulação a favor da reforma da Previdência. “O ministro Paulo Guedes está indo muito bem, na Economia e na articulação política. Surpreendentemente bem na articulação política. O Onyx viajou três dias, e ele [Guedes] ocupou bem esse espaço. Não sei se é definitivo ou se é apenas por um prazo de três dias”, estocou Maia.

Sem Onyx por perto, Bolsonaro começou ele próprio a dar as cartas em torno da Previdência, aproximando deputados com os quais têm diálogo e iniciando conversas para a discreta concessão dos cargos que eles exigem. Quando voltar do continente gelado, Onyx deverá entender que deixou uma fria para entrar em outra: seu poder não será o mesmo. fffff000000