A futura primeira-dama Michelle Bolsonaro chega a Brasília para a primeira viagem à cidade onde nasceu, depois da eleição do marido, Jair Bolsonaro, e conversa com a imprensa.

Empresários abordaram Michele, Mourão, Maia e Bolsonaro em nome da reforma da Previdência

Empresários e executivos se mobilizaram nos últimos dias para conversar com o presidente Jair Bolsonaro (PSL) e com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), na tentativa de acalmar os ânimos e tirar o país da paralisia.

Esses executivos e empresários se reuniram com Maia, em um jantar em São Paulo, ofereceram um evento em homenagem à primeira-dama, Michele Bolsonaro, e ainda uma reunião com o vice-presidente, Hamilton Mourão, na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). O foco era o mesmo: demonstrar sua preocupação com a reforma da Previdência, considerada vital para a retomada do crescimento da economia.

Entre os “recados” passados pelo grupo ao presidente Bolsonaro três temas foram destacados: a Previdência precisa ser a prioridade “zero”; o filho do presidente, Carlos Bolsonaro, passou dos limites nas provocações a Maia no Twitter;  e o presidente tem, sim, a obrigação de conversar com o Congresso para negociar as pautas vitais.

A preocupação geral do empresariado levada aos seus interlocutores em Brasília, certamente, ajudaram a acalmar os ânimos, ou como disse o presidente a “chuva de verão”.