Emoção, choro e alegria; equipe de profissionais do Butantan tem momento maior ao saber de eficácia da CoronaVac; vídeo

Esse é um dos vídeos mais emocionantes do começo de 2021 para nós brasileiros: a chegada dos resultados da Coronavac para os profissionais do Instituto Butantan. As imagens mostram os especialistas recebendo a confirmação da eficácia em um momento simbólico que pode mostrar um novo futuro para o povo brasileiro. Finalmente, podemos dizer existe uma vacina para a covid-19 no Brasil.© Yuri Ferreira

Equipe do Butantan se emociona e chora com resultados de eficácia da Coronavac, que imunizará milhões de brasileiros

Quem faz a entrega dos dados é o cientista Ricardo Palácios, diretor de ensaios clínicos do Butantan, que, em seu sotaque espanhol, confirma que a vacina consegue evitar 78% dos casos leves e 100% dos casos graves de covid-19. Agora, o povo brasileiro aguarda pela sua chegada.

– Governo suspende compra de seringas para vacina contra covid-19 até que preços ‘voltem à normalidade’

“Agora eu tenho um resumo dos dados. Depois, eles entregam os dados completos. Então, para casos leves que precisam de algum tipo de ajuda – seja porque precisam de ajuda médica ou medicação –, a eficácia foi 77,96%, com intervalo de confiança inferior de 49,15 e superior de 90,44. Para casos de internação hospitalar, 100% eficaz”, diz Palacios no vídeo.

“Com esses resultados, nós temos certeza que temos uma boa vacina. Uma vacina que vai ajudar a sobreviver, neste primeiro momento, a essa terrível pandemia. E quem sabe, em um segundo momento, ajudar a nos livrarmos dessa situação difícil em definitivo… Vamos em frente, porque temos muito trabalho pela frente, agora mais do que nunca, para fazer essa vacina chegar ao braço dos brasileiros. É o que nós queremos. É o que nós vamos fazer”, disse Dimas Covas.

– Coronavírus: pesquisador da Fiocruz detalha processo de desenvolvimento de vacina e alerta sobre negacionismo

A vacinação está planejada para começar no dia 25 de janeiro no estado de São Paulo e irá priorizar trabalhadores da saúde, indígenas e quilombolas.