Eminência do gabinete paralelo da Covid, Nise Yamaguchi depõe à CPI; “Baseada na ciência”, diz; atuou para País não ter vacina na hora certa; assista ao vivo

A médica oncologista e imunologista Nise Yamaguchi presta depoimento à CPI da Pandemia nesta terça-feira, 1. Bolsonarista, Nise é diretora do Instituto Avanços em Medicina, de São Paulo, e defensora do chamado “tratamento precoce” contra a Covid-19, com remédios ineficazes como a cloroquina e a ivermectina. Ela também é tida como uma das integrantes do chamado “gabinete paralelo” do governo para assuntos relacionados à crise sanitária e suspeita de ter pedido a alteração da bula da cloroquina por decreto.

Em seu discurso de abertura, a médica afirmou que sua defesa pelo chamado ‘tratamento imediato (ou precoce)’ é “baseada em ciência”. Nise disse que os “artigos científicos publicados” endossados por notas técnicas que provam que remédios como cloroquina e ivermectina não funcionam foram feitos em “pacientes moderados e graves” e não nos “pacientes iniciais”. “Essa eterna discussão entre cientistas vai ocorrer sempre. O que a gente não pode é impedir os médicos de expressarem sua opinião baseado naquilo que já está publicado. O grande inimigo comum é o vírus, é a mortalidade”, salientou.