Em recuo, Anvisa autoriza volta de testes da CoronaVac; ‘vitória’ de Bolsonaro vira novo vexame para governo

A Anvisa autorizou, nesta quarta-feira, 18, a retomada dos testes com a vacina CoronaVac, produzida pela empresa chinesa Sinovac, em conjunto com o Instituto Butantan, de São Paulo. O anúncio foi feito no final desta manhã.

As testagens, que são feitas inclusive no Rio Grande do Sul, haviam sido suspensas após a morte de um voluntário por “efeito adverso grave”, mais tarde confirmada por veículos de imprensa do centro do país como sendo por suicídio, ou seja, sem relação com o imunizante. A suspensão gerou atritos entre o governo de São Paulo e o presidente Jair Bolsonaro, que chegou a celebrar, nas redes sociais, o fato de os testes terem sido suspensos.

De acordo com a Anvisa, a retomada foi autorizada “após avaliar os novos dados apresentados pelo patrocinador [Instituto Butantan] depois da suspensão do estudo”. A agência também disse que “segue acompanhando a investigação do desfecho do caso para que seja definida a possível relação de causalidade entre o EAG [efeito adverso grave] inesperado e a vacina”. Ontem, o Supremo Tribunal Federal (STF) determinou que a Anvisa deveria explicar, em até 48 horas, os motivos das suspensões.