Em nova provocação, Bolsonaro cita Roberto Marinho para irritar Globo sobre golpe de 1964

BR: Num momento em que precisa articular no Congresso o apoio à reforma da Previdência, o presidente Jair Bolsonaro resolveu provocar a Rede Globo a respeito do posicionamento da empresa sobre o movimento militar de 1964. A emissora fez, em nota oficial, uma autocrítica sobre seu apoio ao que considerou ser um golpe militar, mas durante a campanha eleitoral Bolsonaro lembrou que esse movimento só aconteceu após a morte do fundador Roberto Marinho.

No final da tarde desta quarta-feira 27, Bolsonaro voltou ao tema, postando em sua conta no Twitter uma frase inteira do empresário, em evidente provocação às Organizações Globo, crítica do incentivo que o presidente fez para haver comemorações em torno do golpe de 1964.

O conteúdo do tuíte de Bolsonaro é o seguinte: “[…] os acontecimentos se iniciaram, como reconheceu o Marechal Costa e Silva, “por exigência inelutável do povo brasileiro”. Sem o povo não haveria revolução, mas apenas uma “pronunciamento” ou “golpe” com o qual não estaríamos solidários”. Roberto Marinho, presidente da Globo