Em nota, TSE rebate Bolsonaro sobre “apuração secreta” dos votos; “Cinco vias impressas de cada urna, para o público e os partidos”, diz texto

Nesta quinta-feira (22), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tentou colocar em questionamento, novamente, a credibilidade das eleições nas urnas eletrônicas. Em entrevista à Rádio Banda B, o mandatário disse não admitir que a apuração dos votos seja feita “por meia dúzia de pessoas, de forma secreta, em uma sala do TSE”.

+ Renan Bolsonaro, filho mais novo do presidente, nega que tenha se convidado para reality show

A informação foi rebatida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que desmentiu a versão do presidente e afirmou que a apuração é feita “automaticamente pela urna eletrônica logo após o término da votação”.

“A urna imprime, em cinco vias, o Boletim de Urna (BU), que contém a quantidade de votos registrados na urna para cada candidato e partido, além dos votos nulos e em branco. Uma das vias impressas é afixada no local de votação, visível a todos, de modo que o resultado da urna se torna público e definitivo. Vias adicionais são entregues aos fiscais dos partidos políticos”, explicou o Tribunal, em nota.

Defensor do voto impresso auditável, Jair Bolsonaro já alegou fraudes nas eleições presidenciais anteriormente, mas sem apresentar provas.