Em meio a tentativa de golpe de Trump, Bolsonaro volta a falar em ‘muita denúncia de fraude’ nos EUA; apoio ao amigo americano

O presidente Jair Bolsonaro não comentou a invasão diretamente, e disse em seguida que há “muita denúncia de fraude” sobre a eleição em que Donald Trump perdeu para o democrata Joe Biden. E acrescentou: “ Eu falei isso há um tempo atrás e a imprensa falou ‘Sem provas, o presidente Bolsonaro falou que foi fraudada a eleição norte-americana’.”

O presidente disse em novembro que as eleições foram fraudadas. “Eu tenho minhas fontes de informações. Não adianta falar pra vocês [jornalistas][que] não vão divulgar. Realmente teve muita fraude lá [nos EUA]. Se ela foi suficiente para definir 1 ou outro, eu não sei. Eu estou aguardando 1 pouco mais que lá seja decidido. Pelos Estados, ou pela Justiça Eleitoral deles e, quem sabe, pela Suprema Corte”, disse ele, à época.

Os 2 presidentes adotaram um discurso que minimiza a pandemia de covid-19, embora Estados Unidos e Brasil sejam, respectivamente, os que têm mais mortes pela doença.

Bolsonaro e a imprensa

O presidente brasileiro voltou a chamar a imprensa de “canalha” nesta tarde. Também disse: “Alguém acha que eu vou ser amigo de uma imprensa sem-vergonha como essa? Não. Globo, Folha Estadão: não tem mais R$ 3 bilhões por ano para vocês. Acabou a teta de vocês”.

Ele afirmou  ainda que suspendeu a compra de seringas para não ser acusado de corrupto pela mídia por comprar material superfaturado.

Fraude em 2018

Bolsonaro disse ainda que acredita que o pleito que o elegeu presidente em 2018 foi fraudado: “A minha [eleição] foi fraudada, tenho indício de fraude na minha eleição. Era para eu ter ganhado no 1º turno. Ninguém reclamou que foi votar no 13 e a maquininha não respondia –mas o contrário, quem ia votar 17 ou não respondia, ou apertava o 1 e já aprecia o 13”, declarou o presidente.