Dor de cotovelo e maldade de Bolsonaro contra Manuela D’Ávila; “Pensa nas consequências. Os problemas que esse partido cria para a tradicional família brasileira”, apela em citação ao PCdoB; valorizou liderança e crescimento da candidata comunista nas pesquisas: 27%

O presidente Jair Bolsonaro comentou em sua tradicional live desta quinta-feira (29) sobre a visita ao Maranhão e afirmou que as pessoas pediram para que ele “acabasse com o comunismo” no estado governado por Flávio Dino (PCdoB).

“Estive em um estado agora administrado pelo Partido Comunista do Brasil. Com todo respeito, é o segundo pior estado em quase todos os índices. São irmãos como nós, mas a administração do PCdoB ajuda a deteriorar esses números. O que mais me pediram no Maranhão foi que eu pudesse acabar com o comunismo lá”.

O presidente também comentou sobre as eleições municipais em Porto Alegre (RS) onde a candidata a prefeita Manuela D’Ávila, também do PCdoB, está liderando as pesquisas de intenção de voto. No último levantamento divulgado pelo Ibope também nesta quinta-feira (29), a candidata aparece com 27% – uma oscilação positiva de três pontos percentuais em relação à última pesquisa (24%), no dia 5 deste mês.

“Eu olho para Porto Alegre, meus irmãos, a ‘gauchada’ de Porto Alegre… Uma candidata do PCdoB está lá na frente. Pensa nas consequências, vejam o que esse partido defende, os problemas que esse partido cria para a família tradicional brasileira. Será que esse é o caminho certo?”, questionou. O presidente ainda afirmou que o comunismo “não deu certo em lugar nenhum”.

“Vocês são livres para votar, mas votar em uma candidata do PCdoB… Eu acho que é o fim da picada”, opinou Bolsonaro que disse também que não pediria votos para nenhum candidato na capital gaúcha.