Brasília - O relator, deputado Onyx Lorenzoni, durante audiência pública da Comissão Especial que analisa projeto de lei com medidas contra a corrupção (PL 4850/16). (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Direto de Brasília: Onyx pode ser convocado a depor sobre PEC da Previdência; represália por manifestações contra Congresso mira braço direito de Bolsonaro no Planalto

BR: Os deputados, definitivamente, não gostaram nem um pouco de serem atacados nas manifestações em apoio ao presidente Jair Bolsonaro, ontem, em cerca de 150 cidades do País. Hoje, day after dos atos que temperaram os aplausos ao presidente com ataques pesados ao Congresso, ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e ao STF – comemorados por Bolsonaro na avaliação de que “as velhas práticas” foram condenadas pelas ruas -, uma atitude direta de represália já está encaminhada.

A comissão especial da Previdência votará amanhã uma convocação, e não apenas um simples convite, para o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, justificar a PEC da Previdência. O requerimento é do deputado André Figueiredo, do PDT. O presidente da comissão, Marcelo Ramos, do PSDB, foi um dos primeiros críticos das manifestações de ontem e tem tudo para colocar a solicitação a voto. Com o apoio do centrão, o requerimento deve ser aprovado com folga.

Com Onyx convocado, a oposição ganhará mais uma vez os holofotes, podendo provocar o político, famoso por ter pavio curto, em rede nacional.

Seria uma reedição do que foi feito na CCJ com o ministro Paulo Guedes, que de tanto sofrer e devolver provocações, viu a sessão ser suspensa, debaixo de tumulto, após ter sido chamado de ‘tchuchuca’.

Como será com Onyx, o braço direito de Bolsonaro no Palácio do Planalto?

A tendência é o nível baixar, o que não ajuda nem o governo nem a reforma.