Direto de Brasília: governadores novatos trombam com Congresso e ficam mais longe da reforma

BR: Está pegando mal o tom belicoso adotado pelos governador Ibaneis Rocha, do Distrito Federal, e João Doria, de São Paulo, com ataques aos parlamentares por excluírem os governos estaduais da reforma da Previdência e, ao mesmo tempo, querendo liderar o grupo de colegas para tomar parte no texto das mudanças no sistema de aposentadorias.

A carta assinada por 25 governadores teve sua redação mudada três vezes, até que se chegasse ao consenso mínimo, por Ibaneis e Doria insistiam em usar termos duros frente ao Congresso para cobrar a entrada na PEC da questão dos estados. Eles têm sido chamados de novatos e até mesmo comparados ao presidente Jair Bolsonaro em seu estilo de criticar ‘a velha política’.

Foi mirando Doria e Ibaneis que o presidente da Comissão Especial da Previdência, Samuel Ramos, afirmou que os governadores “precisam calçar a sandália da humildade” para conseguirem seu objetivo, em lugar de se vestirem para uma guerra contra os parlamentares.

Mesmo “humildezinhos”, como declarou Ramos, os governadores estão mais perto de perder do que de ganhar a parada da inclusão dos estados na PEC da Previdência.

Pegou mal a carta assinada por 25 governadores de Estado com exigências de tomar parte na reforma da Previdência em tramitação na Câmara. Os deputados não gostaram, especialmente, de um trecho que