DF - CNI/ENCONTRO NACIONAL/BRASÕLIA - POLÕTICA - Jair Bolsonaro, prÈ-candidato do PSL ¿ PresidÍncia, participa do evento "Di·logo da Ind¿stria com os candidatos ¿ PresidÍncia da Rep¿blica", promovido pela ConfederaÁ¿o Nacional da Ind¿stria (CNI), nesta quarta- feira, 04, em BrasÌlia. Durante o encontro, a entidade apresentar· aos presidenci·veis propostas do setor para as eleiÁ¿es deste ano e os candidatos ter¿o a oportunidade de debater as sugest¿es e falar de medidas que adotariam em seus governos para aumentar a produtividade das empresas e estimular o crescimento da economia. 04/07/2018 - Foto: DIDA SAMPAIO/ESTAD¿O CONTE¿DO

Direto de Brasília: Congresso ignora chamado a pacto e avança contra pautas de Bolsonaro

BR: Comandadas pelo deputado Rodrigo Maia e o senador Davi Alcolumbre, as duas casas do Congresso ignoraram solenemente a proposta de pacto lançada pelo governo dez dias atrás e, agora, partem para uma ofensiva de autonomia que já resulta em derrotas pesadas para o presidente Jair Bolsonaro.

Ontem, a Câmara aprovou, em sintonia com o Senado, a redução dos prazos de tramitação de medidas provisórias. O texto permite que em até 40 dias a comissão de análises das MPs possa até mesmo derrubar as iniciativas, tirando-lhes a validade liminarmente. No total, as MPs irão circular pela Câmara e o Senado por não mais que 80 dias, em lugar dos 120 atuais. A matéria vai voltar aos senadores para ser chancelada.

Também ontem, o Senado deixou de votar o crédito suplementar de R$ 160 bilhões que o governo, quase de joelhos, pede para ser aprovado com urgência. O presidente Davi Alcolumbre atribuiu a não votação, marcada agora para a próxima semana, à “falta de fazer mais política” da parte do governo.

Alcolumbre, que até aqui mantinha uma postura mais reservada, agora sai a público para afirmar a independência do Senado, demonstrando, na prática, que a proposta de pacto feita pelo governo não foi levada a sério.

“Se o governo não tem uma agenda, e parece que não tem, nós vamos fazer uma”, promete ele.