Diante de advogados, Toffoli critica Lava-Jato por ideia de fundação: “Isso tem nome no Código Penal, não vou dizer aqui”

BR: Em um jantar especialmente marcado para representar o apoio da nata dos advogados paulistas ao STF, no contexto dos ataques a Corte vem sofrendo pelas redes sociais, o presidente do Supremo, Dias Toffoli, fez uma crítica enviesada, mas dura, à ideia da força-tarefa da Operação Lava-Jato de criar uma fundação com R$ 2 bilhões provenientes da Pretrobras.

No ambiente, muitas críticas a métodos empregados pela Operação Lava-Jato, como condução coercitiva, restrição dos autos aos advogados e prolongamento de prisões preventivas, Toffoli falou por 30 minutos.

“O que não se pode são os excessos. O que não se pode é querer, superando os limites legais e constitucionais, ser o dono do poder, criando inclusive, do nada, recursos para tal finalidade, recursos que deveriam voltar à União, ao Estado”, disse o ministro. “Isso tem até nome no Código Penal, que eu não vou dizer qual é”, afirmou, referindo-se indiretamente à Fundação Lava-Jato, que os procuradores de Curitiba tentaram criar apoiados em mais de R$ 2 bilhões recuperados da Petrobras. A iniciativa foi barrada pelo STF.