Destemperado, Guedes parte para o revide por vazamento de Marinho; “Se ele falou mal de mim, é um despreparado, desleal e fura-teto”

 O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta sexta-feira não acreditar que o colega de Esplanada Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional) tenha falado mal dele em reunião fechada com investidores. Porém, disse Guedes, se falou, Marinho é “despreparado”, “desleal” e “fura-teto”.

Guedes se refere a informações que circularam no mercado financeiro ao longo do dia sobre declarações que Marinho teria feito de maneira reservada a investidores.

Entre os comentários atribuídos a Marinho estão que o Renda Cidadã sairia do melhor ou do pior jeito, o que foi encarado como um sinal de estouro do teto de gastos, e de que a ideia de financiar o programa com precatórios (dívidas do governo reconhecidas pela Justiça) e recursos da educação (Fundeb) foi de Guedes.

Segundo interlocutores, Guedes teria se queixado ao presidente Jair Bolsonaro e pedido a demissão do colega.

— Eu espero que ele não tenha falado nada de mal. Eu não acredito que ele tenha falado isso. Eu realmente não acredito que ele tenha falado mal de mim — disse Guedes a jornalistas, acrescentando: — Agora se falou, falou que está querendo furar teto, falou negócio de precatório. Se falou já pode saber: é despreparado, é desleal e confirmou que é um fura-teto, mas eu não acredito que tenha falado

Perto do meio dia, houve forte movimentação de alta no mercado de câmbio e juros. Em grupos de mercado e mesas de operação se procurava o motivo para o descolamento no comportamento dos ativos locais. Pouco depois começam a surgir as conversas de que Marinho teria feito os comentários sobre o Renda Cidadã e Guedes.PUBLICIDADE

No fim da tarde, a assessoria do ministro Marinho divulgou uma nota, alegando que as informações chegaram à imprensa de forma distorcida. A nota diz ainda que a reunião era fechada e não houve “desqualificações” e “adjetivações” a agentes públicos, sem mencionar o nome de Guedes. A assessoria de Marinho não quis comentar as declarações de Guedes.

A semana que foi marcada por diferenças dentro do próprio governo e entre parlamentares em torno do novo programa social do presidente Jair Bolsonaro terminou com desentendimentos entre dois ministros, que já vinha se antagonizando: Rogério Marinho e Paulo Guedes.

Nesta sexta-feira, uma reunião fechada em São Paulo entre Marinho e analistas da corretora Ativa acabou vazando, o que teria deixado Guedes furioso.