Delírio anticomunista: Bolsonaro diz que moeda comum com Argentina é “trava em aventuras socialistas”; plano engloba América do Sul

BR: Aparentemente, o presidente Jair Bolsonaro não estava com febre. Mesmo assim, produziu nesta sexta-feira 7, em São Paulo, um dos maiores delírios anticomunistas que se tem notícia. Ele justificou sua ideia, lançada em Buenos Aires, de criar uma moeda comum, o peso real, entre Brasil e Argentina, com uma justificativa política inesperada até vinda dele, um anticomunista empedernido:
“Isso pode ser uma trava em aventuras socialistas”, atirou, ampliando agora o escopo de abrangência da proposta. Bolsonaro admitiu que, atribuída ao ministro Paulo Guedes, a verdadeira dimensão é uma moeda comum para todo o continente:

“Essa é a ideia!”, arrematou o presidente.

”Uma família começa por duas pessoas. A relação começou na Argentina, com o Paulo Guedes, e gostaria que outros países se preocupassem com isso também. Quem sabe fazer uma moeda única para a América do Sul?”, disse.