De quase líder de fundação de R$ 2,5 bi a repúdio nas redes sociais: imagem de Dallagnol definha com vazamentos de Moro; “Bobinho”

BR: O procurador Deltan Dallagnol tem problemas, logo depois de quase chegar ao auge de sua carreira. Caso não tivesse sido dinamitada pelo STF, sua intenção de montar a Fundação Lava-Jato, com R$ 2,5 bilhões oriundos da Petrobras, com recolhimento feito nos Estados Unidos, ele sem dúvida seria o maior líder do empreendimento. Agora, com o vazamento dos diálogos dele com o então juiz Sergio Moro, Dallagnol foi chamado de ‘bobinho’ pelo ministro Gilmar Mendes, já enfrenta uma investigação do Conselho Federal do Ministério Público e, pior ainda para alguém tão cioso de sua própria imagem e das reações da opinião pública, vê seu prestígio escafeder-se nas redes sociais.

De cada 100 mensagens que ele vem recebendo em sua conta no Twitter, apenas 5 contém elogios, com o restante de ataques e questionamentos sobre seu papel de auxiliar de Moro na operação Lava-Jato.

O levantamento foi feito por profissionais que monitoram as redes sociais para um grupo de senadores.