Davi ‘puxa-saco’ Alcolumbre; por reeleição, presidente do Senado dá cargo de R$ 21,4 mil na Mesa Diretora a Léo Índio; agrado a Bolsonaro e Carluxo

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre abriga, a partir desta quinta-feira, Léo Índio, primo dos filhos de Jair Bolsonaro, na Diretoria-Geral do Senado.

Léo Índio era funcionário do gabinete do senador Chico Rodrigues (DEM-RR), flagrado com dinheiro na cueca em outubro. Na tentativa de se desvincular a família Bolsonaro do escândalo, deixou o cargo nos dia seguinte à operação da PF.

Semanas depois, foi contratado para o gabinete da Primeira-Secretaria do Senado, comandada por Sérgio Petecão (PSD-AC).

Hoje, foi transferido para a Diretoria-Geral da Casa com o mesmo salário: R$ 21,4 mil.