Cúpula do Judiciário aperta Lava-Jato: Toffoli questiona Moro sobre se Greenwald está sob investigação e Dodge chama Deltan e procuradores para reunião institucional

O ministro Dias Toffoli, do STF, pediu hoje que o titular da Justiça, Sergio Moro, informe se a Polícia Federal está investigando o jornalista Glenn Greenwald, editor do site The Intercept Brasil. O despacho veio na esteira de uma ação impetrada pela Rede Sustentabilidade, que pede a inconstitucionalidade de qualquer investigação sobre Greenwald.

Por outro lado, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, recebe também hoje o procurador e coordenador da força-tarefa da operação Lava Jato, Deltan Dallagnol, para uma “reunião institucional”.

O encontro, marcado para as 14h30 na PGR (Procuradoria Geral da República), consta na agenda de Raquel Dodge. Além de Dallagnol, participam da reunião os demais integrantes da força-tarefa.

Os dois movimentos mostram que a cúpula do Judiciário brasileiro está fortemente incomodada com as revelações contidas nos diálogos entre o então juiz e o coordenador da força-tarefa da operação Lava-Jato. A serem entendidos como dentro da normalidade, as conversas podem mudar todo o modelo de imparcialidade de juízes existente no Brasil.