Com receio de evangélicos, Bolsonaro prestigia Feliciano, que pediu impeachment de Mourão

BR: O presidente Jair Bolsonaro decidiu não punir o vice-líder do governo na Câmara, deputado Marco Feliciano (Podemos-SP), autor de um pedido de impeachment contra o vice-presidente Hamilton Mourão. O parlamentar acusa o general de traição a Bolsonaro. Apesar do teor da acusação, Feliciano não será afastado de suas funções. O motivo, segundo o colunista Guilherme Amado, da revista Época, é o receio de Bolsonaro em relação a descontentamentos na bancada evangélica, da qual o parlamentar acusador faz parte.

Entre enfrentar uma situação vexatória para seu vice e deixar tudo por isso mesmo, o presidente optou por frustrar Mourão e prestigiar Feliciano.