Com R$ 10 bi a receber, grupo questiona na Justiça e na CVM privatização da BR Distribuidora

A privatização da BR Distribuidora já provoca contestação. O Grupo Forte, que atua no segmento de revenda de combustíveis em São Paulo, entrou com um cumprimento provisório de sentença contra a BR no Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, na tentativa de acelerar um processo do ano 2000, no qual cobra R$ 10 bilhões da distribuidora.

Novas notificações serão encaminhadas no dia em que acontecerá a assembleia de acionistas, esperada para o próximo dia 31. Além disso, recorreu à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) com o argumento de que a Petrobrás escondeu a dívida dos potenciais investidores na BR.