Com mais de 20 pedidos de impeachment à espera, Maia pede cautela e aposta em investigações sobre denúncias de Moro contra Bolsonaro; nenhum encaminhamento agora

(Bloomberg) — O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, não vai endossar imediatamente pedidos de impeachment do presidente Jair Bolsonaro, de acordo com três parlamentares próximos a ele que não quiseram ser identificados. Vários pedidos de impeachment do presidente foram apresentados ao Congresso na sexta-feira após a renúncia do ministro da Justiça, Sergio Moro, que entregou o cargo acusando Bolsonaro de tentar interferir nas investigações da Polícia Federal.

Maia prega cautela e quer que as acusações de Moro sejam totalmente investigadas antes de tomar uma decisão sobre a abertura de um processo de impeachment, disseram os parlamentares. Segundo eles, Maia acredita quqe as acusações de Moro sejam totalmente investigadas antes de tomar uma decisão sobre a abertura de um processo de impeachment, disseram os parlamentares.

Segundo eles, Maia acredita que não é o momento ideal para um processo de impeachment, já que o Brasil ainda tenta combater a pandemia de coronavírus.Maia não respondeu a um pedido de comentário.Moro acusou o presidente de tentar interferir em investigações da PF. Em discurso na sexta-feira, Bolsonaro disse que as acusações do ex-ministro não tinham fundamento.Parlamentares por trás dos pedidos de impeachment alegam que Bolsonaro cometeu crime ao tentar interferir na Polícia Federal. Há mais de 20 pedidos de impeachment contra de impeachment contra o presidente no Congresso (incluindo por má gestão da pandemia de coronavírus e apoio a protestos defendendo a volta dos militares) à espera da assinatura de Maia.