Brazil's President Luiz Inacio Lula da Silva (R), talks with footballer Neymar (C), of Brazilian club Santos FC, and his father, also Neymar, a former footballer, during a meeting at a hotel in Sao Paulo, Brazil, on August 23, 2010. AFP PHOTO/Mauricio LIMA / AFP / MAURICIO LIMA

Com filho entre duas suspeitas, pai de Neymar escolhe uma: “Prefiro crime de internet do que crime de estupro”

BR: Não se fala mais no futebol de Neymar. Todas as notícias em torno do jogador giram agora sobre a denúncia de estupro feita contra ele, em São Paulo, por uma mulher com quem ele teria feito sexo sem o consentimento dela, num hotel de Paris, em 15 de maio. O caso ganhou imediatamente repercussão mundial.

Além do crime de estupro, Neymar está sendo acusado de crime de divulgação de imagens íntimas na internet, por ter publicado um vídeo no Instagram narrando seu versão dos fatos, com imagens de supostos diálogo e da própria mulher, que teve seu rosto e seu nome preservados. Ainda assim, policiais procuraram o jogador, para obter seu depoimento, na concentração da Seleção Brasileira, em Teresópolis, mas não o encontraram. A intenção da política em ouvir Neymar prossegue.

À TV Bandeirantes, o pai do jogador, Neymar da Silva Santos, defendeu o filho em entrevista:

“Preservamos sim a menina. O Neymar quis mostrar a verdade. Eu prefiro um crime de internet do que um crime de estupro”, disse ele. “O vídeo não foi retirado pelo Neymar. O Instagram derrubou porque entende que vai haver uma discussão (na Justiça). Mas o Neymar preservou a imagem, o nome. A gente sabia da chantagem, mas não sabia da coragem do boletim de ocorrência”, continuou. Ele admitiu que a denúncia causa um abalo nos negócios e na família do jogador:

“Isso afeta não só a instituição (Instituto Neymar), afeta o pai, afeta a mãe. Estamos muito abalados. Muito difícil saber que isso não é verdade e enfrentar essa situação”, comparou.