Com 22 pedidos de impeachment de Bolsonaro na gaveta, Maia elogia aliança entre presidente ‘e daí?’ e centrão; estatura moral ‘fake’

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), elogiou as últimas movimentações do Palácio do Planalto em uma tentativa de aproximação do Centrão. “É um bom caminho o governo ter uma base de apoio, aliados, partidos que construam um apoio, principalmente nesse momento da pandemia”, disse ao ser questionado sobre o tema em entrevista à TV Band. “Se o governo abriu o diálogo para estar mais próximo de uma parte do Parlamento, dos partidos que representam a Câmara dos Deputados e o Senado, acho que é bom.”, disse Maia.

Como o Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) revelou, nessa aproximação o governo negocia cargos na administração federal com lideranças do Progressistas (legenda com 40 deputados), PL (39), PSD (37), Solidariedade (14), PTB (12) e Republicanos (31). O último partido abriga filhos do presidente.

Maia disse que seu contato com o governo tem sido com o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos. Nesta segunda, 27, o ministro foi ao Twitter pedir publicamente que a Câmara vote a proposta de emenda à Constituição do Orçamento de Guerra. O texto estava na pauta da sessão desta terça, 28, mas a votação foi adiada para quarta-feira, 29, porque deputados ainda fazem ajustes.

“Ministro Ramos pediu votação da PEC do orçamento de guerra e trabalhamos para aprová-la amanhã”, disse Maia.