Com 0,93%, prévia da inflação de março é a maior em seis anos; acumulado em 12 meses chega a 5,57%; gasolina é a vilã

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), que é uma prévia da inflação oficial do país, saltou para 0,93% março, segundo divulgou nesta quinta-feira (25) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Trata-se do maior resultado para um mês de março desde 2015 (1,24%) e da maior taxa mensal desde dezembro (1,06%).

O indicador teve uma forte aceleração na comparação com fevereiro, quando ficou em 0,48%.

Em 12 meses, o IPCA-15 acumula alta de 5,57%, acima dos 4,57% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores e da meta de inflação para 2021.

IPCA-15, prévia da inflação oficial (variação mensal)   — Foto: Economia G1

IPCA-15, prévia da inflação oficial (variação mensal) — Foto: Economia G1

O resultado ficou um levemente abaixo das projeções de analistasde consultorias e instituições financeiras consultados pelo Valor Data, que projetavam alta de 0,96% em março. O intervalo das estimativas era de 0,83% a 1,06%.https://3192ebcf90ae89b014b611e47900c199.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Gasolina fica mais cara pelo 9º mês seguido

gasolina foi o item que mais pressionou a inflação no mês, com alta de 11,18%, representando sozinha um impacto de 0,56 ponto percentual no índice. Foi o nono mês consecutivo de alta.

Também houve alta nos outros combustíveis: etanol (16,38%), óleo diesel (10,66%) e gás veicular (0,39%).

Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados pelo IBGE, 8 tiveram alta em março. A maior taxa foi verificada em Transportes (3,79%), que aceleraram em relação a fevereiro (1,11%), sobretudo em decorrência do aumento nos preços dos combustíveis.

A segunda maior pressão no resultado do IPCA-15 de março veio do grupo Habitação, com alta de 0,71%. O destaque foi o gás de botijão, que aumentou 4,60% e registrou o 10º mês consecutivo de alta.