Ciro poupa Bolsonaro e ataca Lula em escândalo Covaxin; “Palocci, Sergio Machado, Eunício Oliveira, Ricardo Barros”; perde a carona na queda de popularidade de presidente; estratégia vesga

O ex-ministro Ciro Gomes (PDT) usou seu perfil no Twitter nesta 4ª feira (30.jun.2021) para reclamar do silêncio do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva (PT) sobre os supostos casos de corrupção na compra de vacinas superfaturadas pelo governo Jair Bolsonaro. O escândalo da Covaxin está no foco da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid no Senado.

O presidenciável citou antigos aliados do ex-presidente e falou sobre a ausência de declarações do petista em relação aos possíveis casos de corrupção envolvendo o governo atual:

Não fala nada porque na hora que ele falar em corrupção a turma manda ver Palocci, Sérgio Machado, Eunício Oliveira… Manda ver Ricardo Barros, que era vice-líder do governo Lula.

— Ciro Gomes (@cirogomes) June 30, 2021

“O principal líder da oposição até o presente momento não deu uma palavra sobre esta absurda corrupção na roubalheira em vacinas”, afirmou Ciro. “Não fala nada porque na hora que ele falar em corrupção a turma manda ver Palocci, Sérgio Machado, Eunício Oliveira”, finalizou.

O ex-ministro Antonio Palocci, o ex-presidente da Transpetro José Sérgio Machado e o ex-senador Eunício Oliveira foram denunciados durante a Operação Lava Jato, iniciada em 2014.

Ciro citou ainda Ricardo Barros (PP-PR), figura do Centrão que já fez parte do apoio aos mandatos de Lula e Dilma, e é atual líder do governo Bolsonaro na Câmara. Nesta 4ª, o deputado foi convocado para depor na CPI da Covid no Senado.