Chapa Bolsonaro-Mourão vai a julgamento no TSE na terça-feira; suspeita de disparos em massa de WhatsApp podem levar à cassação; quem acredita?

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) incluiu na pauta da próxima terça-feira, a partir das 19h, o julgamento de duas ações contra a chapa do presidente Jair Bolsonaro e do vice Hamilton Mourão por disparo massivo de mensagens via WhatsApp nas eleições de 2018 e uso fraudulento de documentos de idosos para realizar essas iniciativas.

As ações tinham sido liberadas para julgamento na sexta-feira passada pelo corregedor-geral da Justiça Eleitoral, ministro Luís Felipe Salomão. Ele deixa o posto dia 29 de outubro e será substituído pelo ministro Mauro Campbell.

Os processos foram movidos pela chapa derrotada nas eleições de 2018 encabeçada pelo PT e, em caso de condenação, podem levar à cassação da chapa Bolsonaro-Mourão, o que poderia levar à perda dos mandatos e tornar os dois inelegíveis na disputa eleitoral do próximo ano.

Na semana passada, a defesa de Bolsonaro chegou a pedir ao TSE a tomada do depoimento do empresário bolsonarista Otávio Fakhoury, que admitiu em depoimento no mês passado à CPI da Covid do Senado ter custeado material de campanha para o então candidato ao Palácio do Planalto em 2018, e da jornalista Patrícia Campos Mello.

Mas o corregedor rejeitou os pedidos, que se aceitos poderiam atrasar ainda mais a análise das ações.