Centrão já tem nome para ministério que renascerá de divisão da Economia; deputado Marcos Pereira nega; contatos já iniciados

Última atualização:

Representantes do governo procuraram o deputado Marcos Pereira (Republicanos-SP) nesta semana. Sondaram o político paulista sobre a possibilidade de ele assumir 1 novo ministério a ser desmembrado da atual pasta da Economia.

Pereira disse ao Poder360 que os contatos foram na 3ª (6.out) e na 4ª feira (7.out). Também disse que rejeitou a possibilidade.

O Ministério da Economia foi criado como uma super-pasta no início do mandato de Jair Bolsonaro. Foram colocados sob o guarda-chuva de Paulo Guedes os antigos ministérios da Fazenda, do Planejamento e do Trabalho, além de Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

A sondagem a Pereira foi para assumir esse último, conhecido no jargão de Brasília como Mdic, depois de sua possível recriação. Ele foi titular da pasta no governo de Michel Temer.

Marcos Pereira explicou à reportagem o motivo de ter recusado a sondagem. “Sou pré-candidato à presidência da Câmara”, afirmou. A eleição será em fevereiro, quando será escolhido o sucessor de Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Pereira é o atual 1º vice-presidente da Casa, e também comanda seu partido, o Republicanos. Há alguma proximidade entre a sigla e o presidente da República. O senador Flávio e o vereador do Rio de Janeiro Carlos, ambos filhos de Jair Bolsonaro, são filiados à legenda.

Além de Pereira, estão entre os principais cotados para sucessão de Maia o líder do MDB e presidente nacional do partido, Baleia Rossi (MDB-SP), e o principal líder do bloco conhecido como CentrãoArthur Lira (PP-AL). É citado, ainda, o nome do deputado Marcelo Ramos (PL-AM). O deputado Capitão Augusto (PL-SP) se coloca como pré-candidato.

O eventual desmembramento do Ministério da Economia preparado pelo governo federal deverá começar pelas áreas de Previdência e Trabalho. É consenso entre apoiadores políticos de Bolsonaro que a concentração de poder nas mão de Paulo Guedes fracassou. O desmembramento deve ser no início de 2021.