Caso Queiroz: MP quer quebra de sigilo de Flavio Bolsonaro para descobrir origem de R$ 1,2 milhão

BR: Para justificar o pedido de quebra de sigilos fiscal e bancário do senador Flávio Bolsonaro e do ex-assessor Fabrício Queiroz, a ser feito nos próximos dias, os promotores do caso devem usar como argumento que, até agora, não encontraram evidências de que a movimentação de R$ 1,2 milhão na conta dele se refere a compra de carros e outras atividades informais.

O pedido deve ser encaminhado em breve à Justiça pelo MP do Rio de Janeiro. Os procuradores só localizaram no nome de Queiroz dois carros antigos. Além disso, ao prestar esclarecimentos em fevereiro, Queiroz não detalhou essas supostas compras e venda de carros e admitiu que pegava parte dos salários do gabinete de Flavio Bolsonaro na Alerj para, supostamente, contratar mais pessoas.

Até o momento, Queiroz não entregou a lista com esses nomes.