Rio abre no domingo Carnaval de 50 dias; 543 desfiles e blocos; projeção de R$ 4 bi com turismo

O presidente da Riotur, Marcelo Alves, disse que este ano a cidade do Rio de Janeiro terá 50 dias de carnaval, uma vez que foi montada uma programação de abertura que ocorrerá no palco originalmente montado para o réveillon na Praia de Copacabana.

Além do Bloco da Favorita, ameaçado de não se apresentar, mas que obteve autorização da Polícia Militar, vão fazer shows as cantoras Preta Gil e Sandra de Sá; o cantor Tony Garrido, a Banda de Ipanema e Mcs. Além dos shows, haverá a final do Concurso da Corte Real da Folia, com a escolha do Rei Momo, da Rainha do Carnaval e das duas princesas, que pela primeira vez será aberta ao público.

Para atender a PM, os shows serão realizados entre 16h e 19h. Por volta das 18h, tem uma interrupção para o anúncio dos vencedores do Concurso da Corte Real. A apresentação dos candidatos começa às 15h.

Programação

Apesar da abertura oficial do carnaval estar marcada para este domingo (12), o presidente da Riotur considera que a folia já começou na cidade. “A programação de carnaval já começou. Tem ensaios nas quadras de escolas de samba, feijoadas em hotéis da cidade, eventos pontuais em locais destinados a blocos, desfiles nas ruas. Isso é alegria, é o que a gente espera na cidade para que tenhamos 50 dias de folia, de alegria e de muita movimentação econômica, com muito emprego. O carnaval gera muito emprego”.

Segundo o presidente da Riotur, o esquema montado garante boa diversão para o público. Marcelo Alves disse que a cidade não pode parar por causa do carnaval, e esse, segundo ele, é o maior desafio da Riotur. “Não tenho dúvida. Estou muito confortável e muito seguro, porque os órgãos públicos muito unidos estão fazendo o seu trabalho e já estão em plena ação. O carnaval está aí”, disse na apresentação do planejamento do Carnaval Rio 2020.

Já foram aprovadas pela Riotur 543 apresentações na cidade, um aumento de 9% em relação ao ano passado. A folia também deverá movimentar bastante a economia: serão R$ 4 bilhões, segundo estimativa da prefeitura. O impacto em 2019 foi de R$ 3,78 bilhões e de R$ 3 bilhões no ano anterior. Parte desses recursos será trazida pelos turistas. São esperados 1,9 milhão de visitantes no período, e a rede hoteleira já está com 68% de seus quartos reservados.

— No ano passado, foram sete milhões de foliões no carnaval do Rio. Este ano, a nossa expectativa é que vai aumentar — prevê o presidente da Riotur, Marcelo Alves.

Os blocos já receberam autorização da Riotur, mas cerca de 60% dos desfiles ainda dependem de permissão da Polícia Militar ou do Corpo de Bombeiros. Um dos entraves da folia caiu ontem: o Baile da Favorita —principal atração da abertura oficial do carnaval da cidade, marcada para domingo em Copacabana — conseguiu derrubar o veto da PM. Ainda assim o evento está ameaçado. Associações de moradores do bairro foram à Justiça e ao Ministério Público estadual para tentar impedir a apresentação da Favorita.

OpresidentedaRioturdissequeoinvestimento

da prefeitura no carnaval —incluindo blocos e Sambódromo — será de R$ 100 milhões, sendo R$ 28 milhões de patrocínios. Os desfiles nas ruas vão começar no próximo dia 25. Do total, 133 serão na Zona Sul, mesmo número previsto para o Centro. Na Zona Norte, serão 179 desfiles. A região da Barra e de Jacarepaguá vai receber 45, e outros 53 estão marcados para os outros bairros da Zona Oeste.

Todos os megablocos vão se apresentar na Avenida Antônio Carlos, no Centro. O Bloco da Lexa abrirá a temporada no dia 2 de fevereiro. Uma novidade será o Carnaval

Square, da cantora Cláudia Leite, no dia 9. O Chora Me Liga sai no dia 15. No dia seguinte, será a vez do Bloco da Preta. O Fervo da Ludi ficou para 25 de fevereiro, e o Poderosas, para o dia 29. O Monobloco encerra a folia em 1º de março.

Sobre a Sapucaí, Marcelo Alves anunciou que as obras devem terminar no dia 30 de janeiro e que as escolas de samba poderão fazer os ensaios técnicos, se quiserem. No entanto, o evento ainda não está certo porque as agremiações dependem de patrocínio e planejavam fazer o primeiro treinamento no dia 26.