Campeão de arremates nos leilões da Petrobras feitos por Bolsonaro, Ometto é citado em delação de Palocci

Bilionário e líder da Cosan, Rubens Ometto aparece na delação premiada do ex-ministro Antonio Palocci como integrante do lobby que conseguiu do Congresso, durante os governo petistas, a volta do crédito-prêmio de IPI para exportadores. Ele teria atuado junto a outros empresários, como Marcelo Odebrecht e Benjamin Steinbruch, na aprovação da MP 460. Palocci já admitiu ter recebido propina para formular e negociar a aprovação de MPs econômicas no Congresso. A informação é do site O Antagonista.

Os detalhes sobre o papel de Ometto no lobby das MP 460, cuja vitória resultou em economia bilionária em impostos ao exportadores, foram dados por Palocci, em depoimento em 2017, o então juiz Sergio Moro.

No governo Bolsonaro, Ometto tem se notabilizado como um campeão de arremate, pela Cosan, de terminais portuários da Petrobras, por meio da BR Distribuidora e a Transopetro.

Em março, a Cosan arrematou quatro terminais (Vitória e Paraíba) em consórcio com Ipiranga e da própria BR Distribuidora.

Na semana passada, o bilionário venceu o leilão da Ferrovia Norte-Sul, por meio da Rumo, subsidiária da Cosan.