Camarotti: “Hierarquia de generais gera impasse na sucessão de Bebbiano”; promoção de general Floriano subiu no telhado

BR: Com influência crescente nos assuntos de governo e, em especial, dentro do Palácio do Planalto, o núcleo militar não aceitou com passividade a anunciada nomeação, pelo presidente Jair Bolsonaro, do general da reserva Floriano Peixoto para o posto de secretário-geral da Presidência, no lugar de Gustavo Bebbiano.

A informação foi postada no Twitter, nesta segunda-feira 18, pelo jornalista Gerson Camarotti, da GloboNews, com uma frase que diz muito:

“Hierarquia de generais gera impasse na sucessão de Bebbiano”.

Significa que os mesmos critérios de promoção no oficialato do Exército, entre eles o de antiguidade, passariam, agora, a serem válidos também para a nomeação de uma alto executivo do governo.

A se confirmar, indica que Bolsonaro perde autonomia em suas escolhas, especialmente quando indica um novo general para desempenhar funções estratégicas. A mensagem é: o Exército tem seus próprios critérios e quer que eles sejam obedecidos pelo presidente. ffffffffffff