O comando militar sudeste realizou na manha de hoje uma solenidade alusiva aos 361 anos do exercito brasileiro na foto soldados marchan em comemoraçao do dia do exercito brasileiro, em São Paulo, SP, dia 17 de abril de 2009. Foto: Rodrigo Coca/FOTOARENA

Braço de ferro com militares sobre aumento para generais e tropa pode mesmo ser vencido por civis da equipe econômica?

O secretário especial de Previdência, Rogério Marinho, afirmou ontem que o projeto de lei que muda a previdência dos militares não vai prever aumento de salários para a categoria. Permitirá, no entanto, a incorporação de gratificações à medida que o militar avançar nas novas patentes que serão criadas, para permitir o alongamento do tempo de serviço exigido pela reforma. “É um projeto em que, ao mesmo tempo em que trabalha a reestruturação da assistência (a previdência dos militares), também há uma ‘rearrumação’ da questão da carreira, mas não aumento salarial, nada que implique em impacto previdenciário”, disse o secretário. A afirmação ocorre após a cúpula das Forças Armadas reivindicar reajuste dos salários dos generais de alta patente como compensação pela reforma, o que levaria a um aumento em cascata para os demais níveis hierárquicos.